sábado, 7 de fevereiro de 2009

Contos.7

numa cadeira de baloiço sentia nas mãos o cheiro da despedida e forças malignas, sangrentas , a flutuarem-lhe no cérebro Quase já sem vista pousou nos joelhos os pesados volumes árabes à procura de encanto: «mil e uma noites» percorrendo-lhe a face quente Um dia tinha sido dom quixote mas agora , sem espada – perdida num último esforço –, procurava em xerazade uma explicação para os dias de febre Mil e 1 histórias que o salvassem Reclinado para trás ousou pedir socorro Caído estava oficialmente vivo e soterrado

Sem comentários: