quinta-feira, 1 de abril de 2010

Corvo

# 25 Duas cortinas azuis esboçam um movimento ligeiro, imperceptível. Durante meses via-se pela janela o correr ruidoso do Inverno. Agora, deitado na cama, ele repara de soslaio no começo violento da Primavera. O que desejam, flores, serem amantes delicadas dos dias mais longos?   # 26 Serão verdadeiramente necessárias tantas lágrimas? Serão verdad iramente necessários tantos riscos ? Não estaremos já suficientemente gastos para morrer tantas , tantas, vezes?