sexta-feira, 28 de novembro de 2008

poemas dispersos

uma súbita face Branca no reflexo de um espelho oval – eis a minha aparência depois da invocação Proibida – : a Boca distorcida – Saliva escura : Olhos semi- ........-abertos , Mãos crispadas: um punhal! Com um único sopro cerrei três velas negras . já na Treva profunda recitei: «venite» «lux» «venite» «lux» «venite» «lux» e a Noite morreu em lua nova