quinta-feira, 2 de abril de 2009

Contos.11

Pela primeira vez em muitos dias , platão levantou-se com alguma energia e com a respiração normalizada No entanto, o peso que sentia sobre si não diminuira Andou apesar de sentir frio , um frio que já vinha de trás e que o sol não dissolvia Andou ainda envolto na angústia Parou, por fim, quando já sem sangue se viu obrigado a sentar-se à beira de um pinheiro