domingo, 20 de abril de 2008

poemas dispersos

um tiro ou uma corda onde pouse um corvo e uma bem-aventurada rosa . à beira da chuva todos os pequenos passos levam ao lugar do desastre e salvos um a um os cegos de goya levantar-se-ão em filas e voarão até ao céu onde dependurado está aquele que a todos sem pensar prometeu a salvação

PEDRO BANDEIRA FREIRE


pedro bandeira freire morreu de dor e amor.
amor por quatro salas de cinema, Quarteto de amor
e verdes anos.
morreu por ter de entregar as chaves desse amor a quarto.
hoje pode descansar? já não tem o seu amor, nem um Quarteto
de filmes que nos abraçavam noite após noite.
que fique a recordação do seu rosto dorido E a lembrança
de um bilhete, parecido com um antigo bilhete de eléctrico,
Chamado Desejo.