segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Satã



















#15

Se me falam de reis e das suas gestas;
da pátria e dos brasões que a reconhecem
, fico imóvel como um mocho observando o infindo.
Fico hirto, porque sobre reis e pátrias não há nada.
Nada que no meu coração e corpo mereça movimento.
Os mochos, quando fitam o além, fitam o além
para terem repouso daquilo que os tira do essencial.
Os reis e a pátria são um enfado e significam o peso
de me saber nascido numa colónia do mundo, onde tudo
o que advém é acaso e ocaso, e o que não acontece
é um desperdiçado caos dourado que
numa orbe frátria seria pedra cúbica.

Frederico Mira George

«QUARENTA ROMANCES DE CAVALARIA E OUTROS POEMAS»

Publicações Dom Quixote