segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Satã




















#22


Como serão as criaturas que suplicam aos anjos?
E se os anjos descansam em algum lugar, como podem eles
escutar (e acudir), tantas súplicas, tantos rostos?
Ser anjo é já não ter de escutar a substância rude de cada ente
e cada substância rude nunca os contrafazer. Ser anjo é já não ter de voltar.
É a duração sem tempo, o clarão perpétuo, a companhia delicada do
mosteiro de organismos sem pulcros nem desengraçados, nem benignos
nem brutais. Nem homens nem humanos. Ora, mesmo sendo isto
coisa que todos deviam concluir, há criaturas que apelam aos anjos
na tentativa pueril de serem contemplados com atenção das Asas Deles.
Sei como são os anjos, mas como será a face do vivente que sabendo
da impossibilidade, conduz as orações àqueles que voam acima dos céus?

Frederico Mira George

Sem comentários: