segunda-feira, 20 de abril de 2009

Contos.13

13. ele soube – o seu sangue soube quando a sentiu O sangue voltou a correr , os olhos voltaram a brilhar mesmo de noite , passaram-lhe as dores do abandono Ele soube e deu-lhe – um dia – pela – primeira vez a mão tremendo por fora Voltara a sentir a compulsão de beijar , beber chá, ouvir incenso, morrer para todas as outras coisas Agora, só, relembra os sor risos , as lágrimas, e, apesar de uma distância que lhe parece intransponível , platão voltou a adormecer

Sem comentários: