domingo, 5 de abril de 2009

Contos.12

No cimo do moinho – lá onde reina a roda e a mó , passeavam patos E ele , assustado, curvou-se perante eles numa vénia trémula Os patos suspenderam a respiração e ignorando a vénia atacaram-no sem um grito Conseguiu fugir, sim, conseguiu Correu pelo campo em volta tentou esconder-se escondeu-se finalmente repousou Após alguns momentos de paz lembrou-se , lembrou-se: no moinho, lá junto à roda e à mó , à guarda dos patos, tinham ficado os óculos Os seus únicos óculos

Sem comentários: